Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas

Arte, criação e vendas é a terceira de uma série de 4 matérias em homenagem às mulheres empreendedoras de Florianópolis, e que foi elaborada a partir de uma pesquisa realizada em nosso site no mês da mulher.

Uma das maiores negociadoras do mundo, Oprah Winfrey, responsável por ser uma autoridade quando o assunto é entretenimento como negócio, disse que “Informação é poder”. Entrevistando vinte e uma mulheres empreendedoras, encontrei algo inteligente e admirável entre elas. Elas estavam e seguem bem informadas sobre si e sobre a importância dos seus negócios.

Ao empreender, elas buscavam a liberdade financeira e optaram por encarar o desafiante mundo da venda de produtos, seja por produção própria, artesanal ou de terceiros.

Todas, indiscutivelmente, tinham claro o que desejavam e o que não iriam negociar ao longo da caminhada como empreendedoras, justamente por amarem e acreditarem o que estavam oferecendo ao mercado.

Nenhuma hesitou mesmo diante do medo, da falta de capital ou tempo escasso. Ao tomarem a decisão de abrir o negócio, seja ele de produtos sustentáveis, para beleza, para o conforto, bem estar, auto estima ou acolhimento, todas arregaçaram as mangas e caíram em cima com muito trabalho, zelo e dedicação.

E isso, caríssimos, em tempos de pandemia, é algo de se tirar o chapéu! Prepare-se! Abaixo uma relação de mulheres de negócios, em franca expansão e muito aprendizado.

• Juliana Mazurkievicz

Ecoabsorventes, almofadinha para olhos, faixa lunar

Dica da Juliana:Comece de onde está e com o que tem.  O resto surge no caminho.
Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 1

A motivação da Juliana para se tornar empreendedora foi oferecer produtos sustentáveis, que levassem conforto e aconchego, principalmente para mulheres. O desafio maior foi divulgar, mas como os produtos eram artesanais e feitos de acordo com a necessidade da clientela, logo foi conquistando o mercado. Um detalhe importante sobre seus produtos é que todos ganham, como ela diz, uma pitada especial de Reiki.

• Carla Muller

Loja online de produtos naturais, orgânicos e veganos

Dica da Carla: “É preciso ter clareza, foco e propósito. Sempre tem desafio na caminhada de quem empreende, mas com amor vale a pena.”

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 2

A Carla iniciou seu negócio com o objetivo de ajudar na transformação das pessoas, por meio do autocuidado e do cuidado com o planeta. Seu diferencial é não trabalhar apenas com a venda de produtos, mas incluir educação e cuidado, com saúde e amor. Como empreendedora, acredita que são necessários três ingredientes para abrir um negócio: clareza, foco e propósito.

• Nanda

Vestuário confortável e 100% algodão

Dica da Nanda:Seja forte, tenha coragem e faça um planejamento.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 3

A motivação para abrir o negócio foi a vontade de trabalhar com mulheres. Antes, a Nanda trabalhava com obras, mas queria atingir sua satisfação pessoal trabalhando com a sua criatividade. O maior desafio, segundo ela, é a organização financeira e o cuidado com todos os processos do negócio. Além de manter a motivação sempre lá em cima, e nunca desistir. O diferencial da marca Nanda Pincelli é o conceito slowfashion e o uso de materiais que não agridam a natureza. Outro detalhe é o design das roupas que busca dar um ar mais moderno. 

• Caroline Lucena

Joias artesanais

Dica da Caroline:Persistir! Empreender é um ato de coragem, e ter persistente é fundamental. Além de estudar, estar sempre se aprimorando e descobrindo coisas novas que fortaleçam o seu objetivo e conceito. Outra dica que acho bem importante, é que se o negócio estiver crescendo e prosperando, acho importante saber delegar funções. Muitas vezes, o espírito do empreendedor é mais centralizador, e delegar foi um aprendizado importante na minha jornada.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 4
A Caroline sempre gostou de trabalhar e, por isso, começou a empreender muito cedo. Antes da ‘Outro Estilo’, ela já tinha investido em outros negócios e o que a faz se entregar de cabeça num negócio é o valor do propósito. A ourivesaria, no início, começou como terapia, mas o amor pelo ofício tomou conta dela e foi o suficiente para que, passados dois anos, ela decidisse abrir sua oficina/ateliê aqui no sul da Ilha. Essa artesã de joias acredita que empreender, por si só, já é um grande desafio, pois requer muita dedicação, tanto de tempo, como amor e investimentos financeiros. Ela diz que sempre atuou em áreas que são mais comuns aos homens, então encontrar seu espaço e ser respeitada pelo trabalho, segue sendo um desafio constante. O diferencial é a originalidade de cada produto, pois como o processo é feito de forma artesanal, cada joia produzida é uma peça única e exclusiva. Sua divulgação é mais forte entre seus clientes e as redes sociais ela usa para mostrar um pouco da sua rotina e produção.

• Fernanda Marinho

Loja de lingerie e roupas íntimas

Dica da Fernanda:Coragem e Fé. E não desanime diante dos inúmeros desafios.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 5

A motivação da Fernanda para empreender foi a vontade de abrir o próprio negócio e tomar as decisões, como entendia serem as melhores. O desafio foi superar todos os medos que surgiram, na caminhada de quem começa um empreendimento. Coisa, aliás, que superou ao oferecer algo exclusivo ao mercado. A deLou Intimates oferece um produto que tem grande valor na vida de uma mulher, mas que poucas empresas sabem entender esse papel, a lingerie. A divulgação é feita pelas redes sociais, pelo site da empresa e pelo boca a boca.

• Daniela Magalhães

Macramês

Dica da Daniela:Se existe amor, não desista…

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 6

A motivação para abrir o negócio não foi convencional. A Daniela já fazia peças em Macramê, mas sempre trabalhou no mercado financeiro e também como produtora de eventos. Mas a pandemia, precisamente em abril de 2020, lhe deu a chance de se reinventar. Justamente nessa época, suas peças começaram a ter aceitação e fazer sucesso entre as clientes, o que foi fundamental para motivá-la a investir mais tempo de produção. Seu maior desafio, ainda é, a impossibilidade de vender em grande quantidade. Sua divulgação é feita no Instagram e as peças que são expostas, geralmente, levam dois dias para serem vendidas. Além disso ela também está vendendo em algumas floriculturas locais.

• Angela Lino

Artesanato criativo e colorido

Dica da Angela:A persistência é a característica fundamental para se tornar uma empreendedora de sucesso.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 7

Abrir uma empresa para poder fazer o que gostava, e tornar-se independente fazendo isso, essa era a motivação da Angela. Como desafio, ela viu a parte das vendas como um obstáculo, mas que logo venceu devido ao seu diferencial. No Atelier tudo é feito com muito carinho e uma energia especial que apaixona quem ama cores, arte e decoração. Angela  oferece aos seus clientes peças com exclusividade, desenho e produção própria.

• Roberta e Renata

Cosméticos naturais, produzidos artesanalmente

Dica da Roberta e Renata:Ter os objetivos e o propósito do negócio bem definidos, e estar sempre focado neles.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 8

A motivação principal do negócio da Roberta e da Renata era produzir cosméticos naturais que estivessem em conexão com o corpo e o meio ambiente. Além disso, elas também queriam conscientizar sobre insumos nocivos e alternativas mais sustentáveis. O maior desafio, como empreendedoras, foi absorver todas as demandas da empresa e, para isso, ambas investiram em boas pesquisas e inovação, com foco em sustentabilidade. Elas fazem questão de produzir novos produtos com conhecimento técnico, junto à sabedoria natural. 

• Fabiula Merizio

Moda, artesanato, brechó

Dica da Fabiula:Estruture seu negócio, desde o financeiro até o objetivo. Foque no seu diferencial e encontre seu público alvo. E, novamente, não desista!

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 9

Muitos negócios surgem de uma crise e, em 2016, surgiu a loja da Fabiula que, além de ser um lazer para ela, lhe possibilitou viver do que gosta e acredita. Para ela um dos maiores obstáculos ao empreender foram as redes sociais. Porém, em tempos de pandemia, Fabiula afirma que tudo é desafiador, inclusive estar de pé e tocar um negócio. Em termos de diferencial, seu negócio oferece, num mesmo espaço, brechó e artes manuais. Ela ainda busca conscientizar seus clientes sobre perigo do consumo excessivo, a importância do reuso e ainda alerta a comunidade do quanto a maioria já tem o suficiente.

• Ligia Monachini

Biocosméticos

Dica da Ligia:Se organize bem, tenha coragem que vai funcionar para que isso flua. Não se apegue, também, a ideia inicial

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 10

A motivação da Ligia é fazer o que ama, trabalhar com algo que vem da alma e ter liberdade de tomar as decisões por ela. Para isso, encarou o desafio de descobrir como divulgar seu negócio e atingir clientes novos, a cada dia. Seu diferencial está em trabalhar somente com matéria prima brasileira, de altíssima qualidade, sempre que possível adquirida de pequenos produtores locais. Ela faz tudo com amor, com insumos biodegradáveis e pensando no bem-estar da família toda, inclusive atualmente a sua irmã irmã gêmea, Veronica trabalha junto com ela. As duas acreditam na importância de uma vida com menos consumo e que gere menos impacto no meio ambiente.

• Fernanda Lopes Warmling

Moda brasileira, loja física e online

Dica da Renata:Estude! Dedicação é palavra chave. Comece aos poucos, devagar e sempre. Tenha um diferencial. Tenha uma persona.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 11

A Fernanda sempre foi de vestir a camisa pelas empresas que trabalhou. Era do tipo de funcionária “mão para toda obra”. Topava tudo, era dedicada e, em troca, só queria ganhar mais e ter mais oportunidades. Ao perceber que isso não acontecia decidiu abrir seu próprio negócio. Seus maiores desafios, no início da caminhada, foram a falta de capital de giro e conhecimento, mas ela acabou tirando de letra ao oferecer no mercado uma moda diversa, inclusiva e onde todos os tipos de mulheres pudessem ser contempladas. Segundo a Fernanda, a Pimenta Rosa é um negócio focado na mulher real e não “perfeita”. Seu atendimento é diferenciado, dedicado e humanizado. Ela gosta de estar sempre ouvindo as clientes para entender seu mundo e fazer com que se sintam acolhidas.

• Gilmara Greyci

Acessórios em semijoias

Dica da Gilmara:Nunca desacredite do seu potencial e do seu sonho, mesmo que hajam concorrentes. Sempre lembre que o sol está para brilhar para todos.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 12

A motivação dessa empreendedora é baseada na experiência e no conhecimento do negócio. Ela pertence a uma família que já trabalha nesse ramo há um bom tempo e, além disso, ama trabalhar com vendas e estar em contato direto com o público. Os desafios, ela diz que encontra todos os dias, principalmente neste período de pandemia. Já o diferencial segue sendo uma estratégia que funciona bem para o seu negócio, atendimento em domicílio.

• Alissa Azambuja

Sabonetes, cosméticos naturais e velas aromáticas

Dica da Alissa:Um bom negócio não pode deixar de pensar no bem-estar das pessoas e do planeta.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 13

A Alissa sempre teve a ideia central de levar a Afago para todo mundo e, mesmo com os inúmeros desafios, acreditou que estava certa ao apostar em trabalhar com produtos naturais. Dos inúmeros desafios, como dona de um negócio, ela afirma que abrir mais de um projeto é um deles, além de dar conta de um novo projeto, precificar os produtos é também outro desafio. 

• Fernanda Amorim

Crochê em fio de malha

Dica da Fernanda:Se estiver com medo, vai com medo mesmo. Comece! Um passo de cada vez.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 14

A motivação da Fernanda, para deixar uma profissão de 20 anos, foi perceber que não se sentia mais feliz e não conseguia mais conciliar o trabalho com a maternidade, durante a pandemia. Ela sentiu que deveria ir em busca da própria renda. Seu maior desafio é administrar o tempo de produção, com as demandas de mãe e dona de casa. Ela afirma que isso a consome bastante e ainda lhe traz outro desafio: encontrar clientes. Seu diferencial, como empreendedora no mundo do crochê artesanal é fabricar um produto feito à mão, personalizado, de acordo com o que a pessoa escolher. Seja em termos de tamanho, cor, modelo, etc.

• Ana Luiza Caldas

Moda de Yoga e Praia

Dica da Ana Luiza: “Ter paciência, para dar um passo de cada vez, e persistir.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 15

A Ana virou empreendedora para ter mais autonomia e liberdade em sua vida. Seus maiores desafios foram dois: entender seu público e aprender a estruturar o negócio. Mesmo trabalhando em casa, com dois filhos pequenos, não pensou em desistir do objetivo. O diferencial do seu negócio é o conforto e os estilo das roupas que se propôs a fazer. A divulgação do seu negócio é feita pelo Instagram.

• Guillermina Lucci

Cosméticos naturais

Dica da Guillermina:Você precisa dedicar-se para que sua empresa progrida e isso quer dizer interagir com as pessoas e ter conteúdos variados, e não só do produto da empresa.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 16

Guillermina começou a empreender para ter tempo, organização e liberdade para movimentar-se. O maior desafio é ter sua marca reconhecida com os benefícios que ela oferece. Ela também procura estimular não só o cuidado com a beleza, mas também o cuidado com a parte emocional das pessoas. Por isso, sempre que entra em contato com cada cliente, indica práticas de yoga, dança, música e expressão corporal. Seu diferencial é o cuidado com a natureza interior da pessoa e a natureza em si.

• Rhuana Braz

Moda praia e outros

Dica da Rhuana:Não desista fácil, pois no começo pode ser que não dê certo ou não arrume clientes como gostaria. Mas não podemos desistir dos nossos objetivos.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 17

A motivação da Rhuana, para começar um negócio, foi conquistar o seu próprio dinheiro e dispor do tempo como achasse melhor. O maior desafio para ela foi começar, pois tinha muito medo de investir dinheiro em algo que não fosse vender. E mesmo com medo, decidiu seguir e agora, segundo ela, “graças a Deus está dando tudo certo”. O diferencial da Hapana, que iniciou vendendo somente biquínis que caíssem no gosto da dona do negócio, foi amadurecer e aumentar sua diversidade de produtos e públicos. Inclusive, a empreendedora resolveu divulgar seus produtos com mulheres de diferentes idades e estrutura corporal. 

• Isadora e Kiki

Moda infantil – Até os 12 anos

Dica da Isadora e da Kiki:Tem que acreditar, gostar muito e pesquisar! Se alie a quem entende muito do assunto, pergunte, e trace um plano.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 18

Para Isadora, estava difícil achar um emprego que pudesse lhe permitir fazer aquilo que acreditava, e ainda ficar perto da sua família. Junto com a sócia Kiki, descobriram que havia uma brecha no mercado para roupas infantis, com design diferenciado e um propósito verdadeiro. E foi apostando nesse diferencial que ambas se lançaram motivadas no mundo dos negócios. O maior desafio foi saber lidar com os tropeços de quem está começando e encontrar a maneira que as coisas funcionem melhor. Outra questão de quem empreende, segundo elas, é a dificuldade em separar a vida empresarial da vida pessoal, pois geralmente se leva trabalho ou preocupações para casa. A proposta da Lok é oferecer um design de estamparia, com qualidade nas matérias primas e que estejam de acordo com as questões de respeito ao meio ambiente e as pessoas. Isadora e Kiki buscam enviar mensagem para as crianças e suas famílias oferecendo produtos de qualidade e, principalmente, uma atitude de respeito para com a natureza e seus clientes.

• Aline Czesnat e Lúcia Schutz

T-Shirts do M ao G3

Dica da Aline e Lúcia:Persistência, muito planejamento e amor. Quando você trabalha com o que realmente gosta, as coisas acontecem.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 19

A Lúcia sempre desejou trabalhar com moda, mas isso só foi possível quando encontrou Aline, que tinha a mesma paixão. Ambas queriam mudar de profissão e fazer isso juntas, até para unir o útil e o agradável, como falam. O desafio, para essas empreendedoras da moda, é se manter atualizada sobre o que está em alta no mundo da moda. E isso, inclusive, ajuda a escolherem bons fornecedores com o intuito de sempre oferecer o melhor produto, com preço justo. Só assim, acreditam que é possível alcançar o maior número de clientes. O diferencial do negócio foi incluir, e focar, no público Plus Size. A numeração das t-shirts vai do M ao G3.

• Vivian Silva

Desenhos e pinturas em garrafas

Dica da Vivian:Nunca desista do que você ama fazer, nunca desista do seu sonho. Vale a pena correr atrás.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 20

A motivação da Vivian para empreender com seus desenhos é o amor que tem pela arte, o prazer de ver seu trabalho pronto e ainda testemunhar a satisfação do cliente ao receber o que foi pedido. Seu diferencial é que as pinturas são feitas com muito amor e um olhar personalizado da artista. Ela diz que também é raro encontrar garrafas com pinturas artísticas, seja do rosto de alguém, um lugar ou algo que a pessoa goste. Isso torna a garrafa exclusiva. Falando em desafios no mundo dos negócios, ela afirma que a desvalorização da arte prejudica, absurdamente. Algo que reflete, diretamente, na dificuldade em encontrar clientes.

• Juliana Graff

Semijóias

Dica da Juliana:Aconteça o que acontecer siga em frente não desista. Os aprendizados estão nos erros.

Mulheres Empreendedoras: arte, criação e vendas 21

A motivação da Juliana surgiu logo após ser demitida, em abril de 2020, no início das paralizações da pandemia. Diante desse cenário, seu maior desafio foi dar conta da casa, dos filhos e todas as responsabilidades da empresa. Conhecida no bairro, por acolher e sempre estar disposta a ajudar, logo a nova empresária se destacou por oferecer um atendimento humanizado. Seu negócio é divulgado no meio digital, por site e pelas redes sociais Instagram e Facebook. Para vencer a pandemia ela criou um método próprio, a “caixinha do amor próprio” que, com todos os cuidados e protocolos, ela leva para as clientes escolherem as joias com segurança.

Pesquisando grandes personalidades no mundo dos negócios concluí que a satisfação é maior nas administrações que acolhem, com verdade, aquilo a que se propõem. E isso me fez perceber que as mulheres aqui entrevistadas só negociam com o que acreditam e assinam embaixo.

Para finalizar essa terceira matéria, de uma série de quatro reportagens especiais sobre empreendedorismo feminino, faço minhas as palavras de uma economista e estilista belga, considerada um dos nomes mais importantes da moda no mundo, Diane von Furstenberg: “Quanto mais velha eu fico, mais me interesso pelas mulheres. Ainda não conheci uma mulher que não é forte. Elas não existem,”

Essa frase me faz lembrar de muitas mulheres que conheci e de tantas outras que essa pauta anda me apresentando. Histórias, aliás, que renderiam, tranquilamente, um excelente livro de cabeceira para quem buscasse empreender em Florianópolis.

Farah Diba Albuquerque

Apaixonada por viagem e turismo, Farah Diba Albuquerque não é manezinha no DNA, mas mora em Floripa há quase 30 anos. Fez duas faculdades: Direito e Jornalismo. Mas assume que a vocação é ouvir histórias, entrevistar pessoas e escrever sobre o que vê e sente. Já morou em vários cantos do arquipélago da magia, mas foi só no Sul da Ilha que encontrou o que precisava para escrever seu primeiro livro. É nesse pacote *{natureza, história e espírito de comunidade}* que descobriu um dos presentes da terra. Jornalista do site Sul de Floripa.