Você sabe o que é Alimentação Consciente e Intuitiva?

Qual a função da comida na sua vida? Já saboreou todos os alimentos numa refeição? Sabe diferenciar a fome física da fome emocional?

Segundo a nutricionista formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, Fernanda Rech Rodrigues, o ato de comer é um momento para estar presente, e consciente na troca de energias que se está fazendo com os alimentos.

Você sabe o que é Alimentação Consciente e Intuitiva? 1

Que tal se alimentar de forma intuitiva e consciente?

Pós-graduada em Saúde da Família e capacitada para atender pessoas com transtornos alimentares, além de qualificada pelo método da Alimentação Consciente e Intuitiva, Fernanda ajuda pessoas a melhorarem sua relação com a comida.

“Atendo pessoas com diagnóstico de transtornos alimentares, como: bulimia nervosa, anorexia nervosa, transtorno de compulsão alimentar, entre outras. Assim como pessoas que já fizeram inúmeras dietas e sofrem com o efeito sanfona”, afirma a nutricionista.

O objetivo do método da alimentação consciente e intuitiva, de acordo com Fernanda, é auxiliar a pessoa a conquistar um ritmo saudável e prazeroso. “O foco é ajudar no resgate de um equilíbrio, para que a pessoa reencontre seus sinais de fome e saciedade, e perceba quais são as necessidades do organismo”, revela.

Você sabe o que é Alimentação Consciente e Intuitiva? 2

Esse tipo de método não utiliza dietas restritivas, mas é feito acompanhamento a médio e longo prazo. Nesse período se obtém uma melhora e a alimentação passa a ter um papel de prazer, sem estresse e sem dificuldades.

“A maior parte do meu público é constituído de mulheres. Algumas têm diagnóstico de endometriose, sintomas de ovário policístico, problemas relacionadas com a menstruação, período pré-menstrual ou estão querendo parar com a pílula anticoncepcional e têm medo de ter muita cólica, compulsão por doce ou ter muita acne”, afirma Fernanda.

Mulheres que querem melhorar a alimentação e a relação com a comida

A melhor alimentação, de uma forma mais simples, é organizar e entender as necessidades do organismo.

A nutricionista Fernanda não escreve dietas prontas. Segundo ela, é no decorrer dos atendimentos, a medida que se conhece o cenário é que se vai construindo, com o cliente, um planejamento alimentar. “Precisamos aprender a ouvir o que o nosso corpo precisa. Saber interpretar os sinais e oferecer o que for de melhor e o que for possível, diante das possibilidades”, diz.

Outra fala importante, durante a entrevista, é a de que magreza não é sinal de saúde e peso mais elevado também não é sinal de doença. “É importante entender que saúde é muito mais do que a gente encontra na balança”, afirma Fernanda.

Durante o atendimento, utilizando o método da alimentação consciente e intuitiva, é necessário entender o ambiente, o estresse, a genética, a forma com que se vive e se tem a relação com a comida. “Devemos ter noção do impacto profundo e importante, da maneira com que nosso peso se comporta, para mais ou para menos”.

Sabia que quando há instabilidade de humor grande, chateação insuportável, irritação ou ansiedade geralmente se desconta na comida?

Se uma pessoa deseja, de verdade, perder peso, o método da alimentação consciente e intuitiva olha muito além da informação sobre a quantidade de alimentos ingerida. “Olhamos para rotinas de sono, manejo do estresse, lazer, atividade física e possibilidades objetivas de organizar a alimentação”, partilha Fernanda.

Uma ajuda importante, durante o processo, é o apoio da família que, naturalmente, se insere e pode contribuir ou não. “Vejo muitas mulheres sobrecarregadas buscando alívio emocional por meio da alimentação. Isso acaba trazendo mais sofrimento, pois parte delas têm aumento de peso inesperado ou alterações metabólicas e laboratoriais”, revela Fernanda.

Para a nutricionista é preciso ajudar as mulheres a entenderem que, em momentos assim, o amparo é necessário para que consigam ter e manter um peso que seja saudável, traga conforto e seja livre de pressões estéticas, pois o objetivo é que se sintam bem e saudáveis.

Alimentação para Mulheres

Sobre a Alimentação Consciente e Intuitiva

A ‘Alimentação Consciente e Intuitiva‘ nasceu da união das linhas Mindfully eating (Alimentação Consciente) e da Intuitive Eating (Alimentação Intuitiva). O método se baseia na promoção de uma alimentação flexível, positiva, sem julgamentos e que respeite a autonomia (intuição) de cada indivíduo.

Pesquisas relatam que os benefícios de alimentação consciente e intuitiva são vários, entre eles: Melhoras na auto estima, prazer de comer, redução de episódios de alimentação transtornada, redução da idealização de magreza, redução do índice de massa corporal, aumento dos níveis de HDL, redução dos níveis de triglicerídeos, entre outros.
Ela também é eficiente na redução do comer emocional, episódios de compulsão alimentar e melhora na relação com a comida e o corpo

Essa metodologia não trabalha com dietas restritivas, mas um olhar acolhedor e autônomo frente a saúde e busca estimular nas pessoas uma relação mais gentil com o corpo e a comida.

Utiliza três ferramentas:
– Autoconhecimento;
– Consciência e
– Resgate da intuição alimentar.

Para os desenvolvedores do método, a alimentação pode mudar a partir do momento que se toma consciência, sobre as reais necessidades do nosso corpo. E isso se inicia, primeiro, compreendendo os sinais de fome e saciedade para, posteriormente, oferecer os alimentos e entender a razão de determinados comportamentos onde se come por questões emocionais.

Todos nós nascemos comedores intuitivos, ou seja, naturalmente nos abastecíamos somente quando o corpo físico precisava. Influências, de toda a ordem, modificaram isso e passamos a procurar a comida por outros motivos, também. Se pergunte se a fome que você sente é de estômago ou pode ser a fome dos olhos, nariz, ouvidos, da boca, células, da mente ou do coração.

Que tal construir uma relação saudável com a comida, a partir de hoje?

Você sabe o que é Alimentação Consciente e Intuitiva? 3

Dicas para melhorar a experiência com a alimentação:

1- Coma em ambiente tranquilo! E esteja relaxado.
2 – Apenas coma! Sem distrações.
3 – Alimente-se colorido! Bote um arco-íris no seu prato, se possível.
5 – Mastigue! De verdade e com vontade.
6 – Saboreie! Perceba o seu palato.
7 – Honre sua fome! Seu corpo diz quando quer comer.
8 – Respeite sua saciedade! Páre de abusar do seu corpo estocando comida.

Farah Diba Albuquerque

Apaixonada por viagem e turismo, Farah Diba Albuquerque não é manezinha no DNA, mas mora em Floripa há quase 30 anos. Fez duas faculdades: Direito e Jornalismo. Mas assume que a vocação é ouvir histórias, entrevistar pessoas e escrever sobre o que vê e sente. Já morou em vários cantos do arquipélago da magia, mas foi só no Sul da Ilha que encontrou o que precisava para escrever seu primeiro livro. É nesse pacote *{natureza, história e espírito de comunidade}* que descobriu um dos presentes da terra. Jornalista do site Sul de Floripa.