Curta-metragem “Guardiãs da Ilha da Magia”

Curta-metragem “Guardiãs da Ilha da Magia” lançado dia 28 de maio de 2021 resgata a força ancestral da bruxas, feiticeiras, benzedeiras, parteiras, mulheres dessa terra. Por meio da música, dança, poesia e uma bela fotografia, o filme percorre locais sagrados de Florianópolis como a “Caverna das feiticeiras”, as pedras do “Salão de festas das bruxas”, o Morro da Oração, a Lagoa do Peri e a Praia da Armação, reverenciando e evocando o poder e a natureza das mulheres que aqui criaram suas raízes.

O curta é uma realização da Cantos de Gaia e pode ser visto no Canal do Youtube “Cantos de Gaia – Sound Healing

Que essa beleza nunca se perca e os ensinamentos, a magia e toda essa energia ancestral seja transmitida para as futuras gerações. Aprecie com os olhos, ouvidos e coração aberto.

Guardiãs da Ilha da Magia” é um curta-metragem que te convida a navegar por lugares físicos e mitológicos de Florianópolis, povoados por lendas de bruxas que habitam a ilha da magia. Para além da forma como a bruxa é geralmente retratada no imaginário popular – com nariz grande e corcunda, aquela que dá nós nas crinas dos cavalos e nas tarrafas dos pescadores, sendo temida por seus feitiços e perseguida por seu conhecimento – o filme propõe a ressignificação desse imaginário, lançando um olhar poético sobre as curandeiras. No filme, uma das guardiãs da ilha levará você a navegar pelas quatro direções da ilha, adentrando nos quatro portais de magia localizados nas direções cardeais Norte, Sul, Leste e Oeste de Florianópolis.

No Norte da Ilha adentramos na “Caverna das feiticeiras”, que fica escondida no Morro das Feiticeiras, na Praia dos Ingleses.

À Oeste da Ilha navegamos até perto do continente, rumo ao “Salão de festas das bruxas”, um conjunto de pedras dentro do mar na Praia de Itaguaçu. Essas pedras estão envoltas em lendas sobre bruxas que foram petrificadas por um feitiço, como conta o conto de Peninha, que escreveu baseado nas histórias de Franklin Cascaes.

No Leste da Ilha, iremos até o Morro da Oração, localizado entre a Barra da Lagoa e a Praia do Galheta, um sítio arqueológico guardião dos mistérios sobre as relações entre a terra, o sol, a lua e as estrelas. Lá, as pedras foram posicionadas por ancestrais de modo que, nos equinócios de primavera e de outono e nos solstícios de inverno e de verão, um facho de luz do sol atravessa por entre as pedras formando alinhamentos solares que marcam os ciclos da natureza.

No Sul da Ilha, navegaremos com as crianças nas águas maternais, fluindo pela Lagoa do Peri e pelo mar da Praia da Armação, onde encontraremos a baleia franca e seu filhote, que escolhem essas águas para amamentar e todos os anos vem ali maternar. Nesse navegar pelas direções sagradas e os portais de magia, encontraremos as guardiãs de saberes ancestrais das medicinas da terra – curandeiras, bruxas, feiticeiras, sacerdotisas, xamãs – mulheres cujo templo é a natureza e cujo altar é o amor no coração.

Realização: Cantos de Gaia (projeto de pesquisa e extensão do Departamento de Artes da UFSC) e SecArte (Secretaria de Cultura e Arte da UFSC / Edital Pró-Cênicas)
Direção, Roteiro, Produção: Janaina Trasel Martins
Direção de Fotografia e Montagem: Kristel Hemmer
Sound designer: Italo Zaccaron Drone: Tiarlei Noeremberg da @espiraldrone e Fábio Menezes da @tvventosul
Trilha Sonora: Grupo Instrumental Gnosis (@soundgnosis), Cantante Dourado (@cantantedourado) e Luiza Rosa (@luizarosamusic), Khali Ribeiro (@khaliribeiro), Daniel Namkhay (@danielnamkhay).
Arte na areia (mandala flor da vida): @reciclayton
Atuação: Pedra Rosa, Doraci Andretti, Yasmin Meera, Adnir Ramos, Terezinha Stachelski, Valtiara Mansano, Franciele Cataneo, Aruanã e Jasmim, Claudia e Évora, Deise e Kalki, Linda e Paloma, Janaina e Kauan, Marina, Mainá e Maria Luz, Fabricio Ahau, Amanda Cortez, Lilian Paes, Luize Zanette, Margareth McQuade, Nataly Oliveira, Oto Bezerra, Alexandra Olmos, Carolina Rodrigues, Fernanda Pedrotti, Fernanda Schauren, Liliete Souza, Luciana Boeing, Michele Marçal, Priscila Ferrari, Roseane Panini, Satiya de Amorim.
Apoio: bolsa Pibic/CNPq/Propesq/UFSC e Bolsa Cultura/SecArte/UFSCDepartamento de Artes da Universidade Federal de Santa Catarina

Luiza Campello

Moradora do Morro das Pedras, local que escolheu para viver. Formada em Turismo e com especialização em Comunicação Estratégica. Apaixonada pelo contato com a natureza e todos benefícios que isso proporciona. Incansável na busca por uma vida mais saudável e sustentável. Administradora do site Sul de Floripa.