Trilha Solidão – Naufragados

Apesar de pouco conhecida, a trilha que leva da Praia da Solidão à Praia de Naufragados, é um caminho super agradável e com lindas paisagens.

A Praia de Naufragados, no extremos sul da Ilha, é uma praia isolada com acesso apenas por trilha ou por barco. A trilha mais usada para chegar lá, sai da Caieira da Barra do Sul (no extremo sul do Ribeirão da Ilha), é um caminho fácil, aberto e super conhecido. Mas pouca gente sabe que também dá para chegar na Praia de Naufragados a partir da Praia da Solidão.

A Trilha Solidão – Naufragados

A trilha possui 7 km de extensão e inicia na Praia da Solidão, onde é possível chegar de carro. Dá para dividir a trilha em 3 segmentos. A parte 1, vai da Solidão ao Saquinho, a parte 2 vai do Saquinho à Ponta do Pasto e a Parte 3 vai da Ponta do Pasto a Naufragados.

Trilha Solidão - Naufragados 1

Parte 1 – Da Solidão ao Saquinho

A parte inicial da trilha é feita em um caminho calçado, mas você vai precisar de um pouco de fôlego para subir pela encosta do Morro do Trombudo. A trilha é bastante íngreme, leve água e pare para descansar se precisar. O esforço será recompensado por lindas vistas de toda a baía do Pântano do Sul. No final da descida, ao passar por algumas casas e chegar no plano, há uma placa indicando o acesso à Praia do Saquinho. Mesmo se o seu destino for Naufragados, a praia fica a apenas 50 metros da placa então, vale a pena uma passadinha para conhecer a praia ou até dar um mergulho!

>> Já publicamos aqui no Blog um post super completo sobre essa trilha que vai da Praia da Solidão à Praia do Saquinho.

Após a Praia do Saquinho, seguindo em direção ao sul, rumo a Naufragados, você vai passar por mais algumas casas da comunidade do Saquinho, uma pontezinha, o Bar do Quirino e daí acaba o calçamento e começa se segunda parte da trilha.

Parte 2 – Do Saquinho à Ponta do Pasto

Essa segunda parte começa bem larga e bonita, em um caminho em meio à mata. Se você prestar atenção, à direita da trilha e poderá ver ruínas de antigos engenhos que existiram na região. Outro vestígio do passado, que também ainda pode ser visto, são algumas bananeiras que foram plantadas pelos moradores que habitavam essa área antes de ela ser anexada ao Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. A maior parte da trilha é muito fácil e aberta, sem morros ou caminhos íngremes. Ela segue assim, dentro da mata por cerca de 30 minutos, até chegar bem perto da costa, onde há um portãozinho (passe o portão e feche novamente). Nesse ponto a trilha sai um pouco da mata e entra em uma região de encosta com lindas paisagens do mar.

Mais uns 30 minutos e você chegará à Ponta do Pasto, um dos pontos mais lindos da trilha! Como o próprio nome já diz é um pasto e eventualmente pode haver bois por lá. A partir desse ponto se tem uma bela vista das Ilhas Irmãs (Irmã de Fora, Irmã do Meio e Irmã Pequena). Esse é um ótimo local para apreciar a paisagem, fazer uma parada para descansar ou um piquenique! Quando estivemos lá era agosto, época da temporada de baleias e nesse ponto avistamos baleias Franca e Jubarte! Há lindas composições de rochas no local e olhando para o oeste, dá para ver e acessar duas praias rochosas “escondidas”.

Parte 3 – Da Ponta do Pasto a Naufragados

A terceira e última parte da trilha é a mais fechada e difícil. Saindo da Ponta do Pasto a trilha entra novamente na mata e há uma subida para cruzar um morro de 180m de altitude. É uma subida íngreme e bastante fechada, mas tranquila, nada que uma paradinha e descascadinha não resolvam. Quando fizemos essa trilha tivemos o infortúnio de encontrar com um casal de bois bem no meio da trilha, exatamente nessa parte onde a trilha é mais estreita. Como eles não tinham cara muito amigável, acabamos contornando a trilha e deixando espaço para eles passarem.

Na parte final a trilha fica novamente bastante aberta e fácil e a chegada na praia acontece na costão leste, um ótimo local para banho!

Naufragados

Naufragados é uma praia muito bonita! Nos finais de semana de tempo bom sempre há turistas na praia, no inverno poucos, no verão muitos! Do outro lado da praia há um riozinho que deságua no mar. Há também uma trilha que leva ao Farol (que está fechado) e aos Canhões do outro lado da praia e que vale muito a visita!

A infraestrutura da praia se resume a alguns restaurantes, que são uma ótima pedida. Eles vendem pratos de frutos do mar e sempre tem um refresco gelado!

Mapa da Trilha

Mapa da Trilha Solidão-Naufragados
Mapa da Trilha Solidão-Naufragados

Retorno

A partir da praia 4 formas de sair de lá.

  1. Pelo mesmo caminho que você chegou, retornando à Praia da Solidão.
  2. Retornando pela trilha mais tradicional, que parte ao lado do restaurante e chega na Caieira da Barra do Sul. São cerca de 40 minutos a partir dos restaurantes.
  3. Retornando por uma trilha alternativa que parte do Farol e também chega na Caieira da Barra do Sul. Cerca de 1h a partir dos restaurantes.
  4. De barco, mas depende das condições do mar. Os barcos também chegam na Caieira da Barra do Sul.

Aquelas dicas básicas:

  • Leve uma garrafinha de água. A trilha não é curta e você vai precisar se hidratar!
  • Vá com um tênis firme, de preferência com uma sola que não derrape muito.
  • Leve máquina fotográfica ou celular! O visual é realmente lindo e vale o registro.
  • Não há coleta de LIXO na comunidade do Saquinho, nem em Naufragados, ou seja, traga de volta TUDO que você levar. E se você encontrar o lixo de outras pessoas, traga de volta também!
  • Fique sempre atento a cobras. Não esqueça que você está em Florianópolis e sempre é possível se deparar com uma cobra no meio do caminho.
  • Nessa região há muitas gralhas e tucanos, fique atento à árvores para apreciar a beleza desses animais.
  • Na época de inverno, que é a temporada das baleias vale levar um binóculo para procurar elas.
  • No verão não deixe de levar roupa de banho para um merecido mergulho em Naufragados.

Boa trilha!

Luiza Campello

Moradora do Morro das Pedras, local que escolheu para viver. Formada em Turismo e com especialização em Comunicação Estratégica. Apaixonada pelo contato com a natureza e todos benefícios que isso proporciona. Incansável na busca por uma vida mais saudável e sustentável. Administradora do site Sul de Floripa.