Trilha para a Cachoeira da Gurita

Cachoeira da Gurita é sem dúvida uma das melhores cachoeiras para se tomar banho em Florianópolis e, geralmente, ela tem um bom volume de água, mesmo em tempos de pouca chuva. A cachoeira é bonita e com várias quedas, não muito grandes mas o suficiente para um bom banho! O passeio é imperdível para quem mora ou visita o sul da Ilha e curte cachoeiras.

A Cachoeira fica no Rio Ribeirão Grande, dentro da área do Parque Municipal da Lagoa do Peri, na parte sul do parque, em uma região bastante isolada. A localidade mais próxima é o Sertão do Ribeirão, já na porção oeste, no Bairro Ribeirão da Ilha.

Como a cachoeira está inserida em uma área de proteção e é possível, especialmente no verão, que você se depare com alguma cobra no meio caminho, ou mesmo nos arredores da cachoeira. Caso isso aconteça contorne, passe longe e deixe ela seguir seu caminho em paz. Para quem caminha silenciosamente há possibilidades (ainda que remotas) de avistar muitos outros animais da fauna local como paca, cotia, graxaim, gambá, tatu, macaco prego, lontras e jacarés. Para quem gosta de aves dá para de deleitar com uma variedade enorme de espécies como saíra, galinha da mata, aracuã, tucano, gralha azul, papagaio, martim pescador e muitos outros pássaros menores que fazem uma orquestra no meio do mato, é só manter os ouvidos bem abertos.

Cachoeira da Gurita conta com pelo menos 3 níveis de queda, tem um poção com acesso abaixo das ruínas, um outro acima das ruínas e um terceiro mais para cima, com acesso apenas por dentro do rio. Especialmente se você for no verão é totalmente recomendado ir com roupa de banho! A cachoeira é bonita, mas é também muito boa para relaxar dentro da água.

Cachoeira da Gurita

» Veja mais fotos na galeria no final do post!

Mas fique atendo às pedras e, dentro da água, desloque-se com cuidado, os poços são cheio de pedras grandes, irregulares e invisíveis, dá para se machucar. E as pedras ao redor da cachoeira tem bastante limo e são bem escorregadias. Desloque-se com atenção.

Antes de chegar na cachoeira (na beira do rio) ainda é possível ver as ruínas do antigo Engenho de Farinha do Vitorino, que funcionava a base d’água. Em outros tempos ali também funcionava um alambique e uma serraria.

Sobre o Parque da Lagoa do Peri

A Cachoeira da Gurita fica dentro da região do Parque Municipal da Lagoa do Peri e é sem dúvida uma das melhores áreas protegidas de Florianópolis. Na sede do parque, que fica um pouco ao norte do início da Trilha Caminho da Gurita você vai encontrar uma ampla praia de lagoa, com águas limpas e tranquilasestacionamentorestaurantebanheirosparquinho infantil, áreas com mesas e cadeiras e muita sombra. Um lugar perfeito para passar o dia com a família, especialmente para quem tem crianças. Nos finais de semana de verão o parque fica bastante cheio, no resto do ano é bem tranquilo. Além da Trilha do Caminho da Gurita, que leva para a cachoeira, o parque conta também com outras trilhas menores e mais simples.

Em breve faremos um artigo completo e detalhado sobre o parque em si, seu histórico, contexto cultural e ambiental e opções de lazer.

Parque da Lagoa do Peri

Praia do Parque da Lagoa do Peri

Como chegar na Cachoeira da Gurita

O que faz pouca gente conhecer a esse lugar incrível é provavelmente o acesso. Basicamente existem 3 formas de chegar na cachoeira: Por trilha, pelo Caminho da Gurita, por trilha pelo Caminho Sertão do Ribeirão, ou remando de Caiaque ou SUP, pela Lagoa do Peri.

» Veja o mapa o final d post!

Acesso pelo Caminho da Gurita

Essa trilha tem início no final da Rua Euclides João Alves (a mesma rua que dá acesso ao Projeto Lontra), na Praia da Armação. A placa no inicio da trilha informa que o caminho tem 3,5 km, duração de 2h e acessibilidade limitada. Nós, na prática, demoramos 1h30 na trilha, sem muitas paradas, em um ritmo bem tranquilo. Para essa trilha é imprescindível ir com calçado fechado, preferencialmente um tênis que tenha boa aderência.

Placa do Início do Caminho da Gurita

Placa do Início do Caminho da Gurita

caminho tem partes bem fáceis, com trilha bem marcada e plana, mas também tem algumas partes que passam por cima de grandes pedras, e com lances mais difíceis, onde inclusive foram colocadas cordas para ajudar a ultrapassar algum  obstáculo. Algumas pessoas podem ter dificuldade de passar em um ponto, mas com calma, cuidado e atenção dá para chegar são e salvo na cachoeira.

Se você não está acostumado a fazer trilhas e não está indo com alguém que já conheça, pode ser interessante e mais seguro, contratar um condutor. Uma indicação é o Augusto Nogueira, da Aventura Zen. Ele é especialista em trilha do sul de Florianópolis e sempre faz essa trilha da Cachoeira da Gurita. Ele é nosso parceiro aqui do Site Sul de Floripa e oferece desconto de 25% para todos que os leitores do Portal Sul de Floripa. Para obter o benefício informe que viu essa divulgação no Site Sul de FloripaOutra indicação é o Diego Vargas da @picosdefloripa, que também tem uma boa experiência nessa e em outra trilhas.

Se você for de carro dá para parar o carro próximo ao início da trilha. Se for de ônibus, desça na parada do Projeto Lontra e caminhe pela Rua Euclides João Alves até o inicio da trilha (cerca de 1 km).

Acesso pelo Caminho Sertão do Ribeirão

Outra opção de acesso, inclusive mais fácil, mas bem menos interessante, é pelo Caminho Sertão do Ribeirão, que parte estrada Francisco Thomaz dos Santos, que começa no Ribeirão da Ilha, na Rodovia Baldicero Filomeno (próximo ao número 10.800). Essa é uma opção para quem está mais interessado em chegar logo na cachoeira, do que fazer a trilha em si. Na placa do início do Caminho consta que ele tem 1,2km, dura 1 hora e também tem acessibilidade limitada, mas nós fizemos em 35 minutos apenas.

Essa parte da trilha, que conecta a área rural do Sertão do Ribeirão com a Cachoeira da Gurita era o antigo caminho até o Engenho do Vitorino, por isso o caminho é aberto e mais fácil. Em um ponto há um mirante, com uma bela vista e é possível ver a lagoa e até a praia. Como essa trilha inicia na parte alta para acessar a cachoeira o caminho é uma descida, íngreme em alguns pontos.

Linda vista da Lagoa no Caminho do Sertão

Linda vista da Lagoa no Caminho do Sertão

Se você for de carro dá para parar o carro próximo ao início da trilha, mas se for de ônibus você vai ter que caminhar por 2 km em uma subida de morro bem acentuada até chegar no início da trilha, eu não recomendaria esse acesso por esse lado, se você estiver a pé.

Depois que chega lá, tem que voltar!

Para a volta, se você estiver a pé, você pode voltar pelo mesmo caminho que foi, ou pode continuar pela outra trilha e atravessar para o outro lado ilha. Ou, se você foi a pé, pela trilha existe uma outra possibilidade muito bacana que é voltar remando! Isso mesmo, vai a pé e volta remando, considero essa sem dúvida a melhor opção!

Quase ao lado da cachoeira tem uma casinha branca (junto da ruína), onde mora o Sr. Osni (eventualmente o irmão dele, o Israel também está por lá). Seu Osni é aposentado e está sempre em casa, especialmente no verão e nos finais de semana. Ele possui uma canoa e alguns caiaques que ele aluga para o pessoal voltar remando até a placa de inicio da trilha, no Caminho da Gurita. Para chamar o seu Osni ou o Israel bata palmas em frente à casa dele e aguarde ser atendido, não saia entrando sem ser convidado, por respeito, é claro, e porque ele tem um fiel escudeiro de 4 patas que defende o território com muita eficácia.

Infelizmente o sinal de celular não pega lá na casa do Seu Orni, então não tem como agendar esse passeio com ele, mas ele confirmou que é só chegar lá e chamar que ele atende. Caso ele não esteja em casa, ele pode estar no final da trilha que vai em direção à lagoa, siga a direção da placa que sinaliza “porto”, não tem erro, é uma trilha larga ao lado do rio (é lá que ele deixa os barcos).

Plaquinhas que mostram o caminho para a Cachoeira e para o

Seu Osni gosta muito dessa atividade e curte conversar enquanto rema, ele vai contando histórias da vida dele e da região, o que já seria uma experiência impagável. Mas na prática essa experiência custou R$25 por pessoa (em jan/2020) e me pareceu muito justo o valor, pelo tempo da remada e especialmente porque é uma forma de ajudar a complementar a renda dele e fazer girar o motor da economia local. E sobretudo também por que ele faz esse trabalho com muito gostosimpatia e respeito ao meio ambiente e às pessoas que ele atende. Na remada de volta demoramos 1h, isso remando devagar e parando. Os caiaques iam rápido, mas a canoa ia mais devagar então parávamos para esperar um pouco. Fomos sem pressa também porque estávamos curtindo a paisagem e a experiência em si.

Remando o Caiaque do Sr. Osni, próximo à foz do rio com a lagoa.

Remando o Caiaque do Sr. Osni, próximo à foz do rio com a lagoa.

Se você pretende voltar remando, deixo dois alertas importantes: Primeiro leve dinheiro reservado para isso, não espere pagar com cartão de crédito! Outra dica, assim que você chegar na cachoeira, antes de ir curtir o banho, já vai lá e conversa com o seu Osni e combina o retorno, porque caso dê alguma zebra de ele não estar lá e/ou não poder leva, você pode organizar o tempo necessário para voltar a pé, se for preciso.

Nossa experiência

Da primeira vez que fizemos essa trilha, cruzamos a ilha para o outro lado, iniciamos na Lagoa do Peri e terminamos lá no Ribeirão da Ilha, essa opção é bem interessante, especialmente para quem está e ônibus, porque há linhas que atendem os dois lados da ilha.

Dessa última vez nós fomos a pé a partir da Lagoa do Peri e voltamos remando! Como estávamos em 4 pessoas voltamos em 2 caiaques (cada um com uma pessoa) e mais um barco a remo (que levou mais duas pessoas). A experiência foi ótima, não há dívidas que para quem sabe remar (mesmo que com pouca experiência) vale muito a pena! O retorno foi mais rápido e bem menos cansativo que caminhar tudo de volta!

Também dá para ir e voltar remando!

A terceira opção para chegar na Cachoeira da Gurita é ir remando, pela Lagoa do Peri, de SUP (Stand Up Paddle), Caiaque ou Bote inflável. Se preferir ir remando o mais aconselhável, é ir com uma empresa especializada.

Se quiser ir remando de SUP uma opção que indicamos é a Floripa Stand Up Paddle (@floripastanduppaddle), a sede deles é ali no Campeche. Fale com a Fernanda (48 9944-1220) e ela vai dar todas as informações. Eles são super profissionais, tem muita experiência nesse roteiro e oferecem treinamento básico e equipamento completo. Outra Opção é a TDA Rafting (@tdarafting) que tem uma base ali mesmo na lagoa do Peri, fale com o Keko (48 99972-4417) ou o João (48 99870-7907). Além das pranchas de SUP eles tem um Bote inflável que possibilita levar mais gente e crianças, uma boa aventura para a família.

Já se a preferência for ir remando um caiaque uma possibilidade é conversar com o pessoal da Piri Caiaques (@piricaiaques) que também fica ali na própria lagoa. Eles tem caiaques que levam até 3 pessoas. Fale com o Gean (48 99185-4018) para agendar o seu passeio.

Floripa Stand Up Paddle
Floripa Stand Up Paddle
TDA Rafting
TDA Rafting
Piri Caiaques
Piri Caiaques

Ressaltamos que, para qualquer uma das opções, é preciso agendar o passeio previamente, até porque o passeio demora algumas horas e demanda eles terem um instrutor disponível. Os passeios não são realizados se as condições de tempo (e vento) não forem favoráveis.

Se você preferir ir remando de forma autônoma, com Caiaque/SUP próprio é importante ir com alguém que conheça o caminho, porque a entrada do canal que dá acesso à cachoeira é bem escondido e a lagoa pode enganar na sua facilidade de navegação conforme os ventos.

Finalizando…

Esse é um passeio incrível, especialmente se tiver um dia quente. Dá para curtir muito a natureza, fazer exercício, tomar um bom banho de lagoa e de cachoeira! Se você for com um guia local ainda vai saber mais sobre a história, cultura, fauna, flora e desenvolvimento da região.

Nossa dica é: vá com roupa levecalçado fechado e leve uma mochilinha com águarepelente e protetor solar. Ah, e um celular ou máquina para registrar essa experiência. Tanto na trilha como na Cachoeira não tem sinal de celular, faça algum registro de fotos, mas aproveite-se para desconectar, ou melhor, para se conectar consigo mesmo, com a energia que vem das águas, da natureza. Viva o momento, sinta a experiência!

Ao retornar, carregue de volta tudo que você levou, inclusive seu lixo! Não deixe nada na natureza, apenas pegadas! No caminho, se encontrar algum lixo ou plástico, aproveite e recolha! Sempre que vou para alguma trilha carrego comigo uma sacolinha para trazer de volta o lixo que alguém pode ter deixado para trás. Uma prática simples, que não custa nada e deixa o ambiente perfeito para a próxima pessoa que passar por ali.

Curtiu esse post?
Acompanhe nosso blogs, sempre vai ter conteúdo novo por aqui!

Veja o Mapa da Região

Veja a Galeria de Fotos

Gostou? Compartilhe!

Luiza Campello

Moradora do Morro das Pedras, local que escolheu para viver. Formada em Turismo e com especialização em Comunicação Estratégica. Apaixonada pelo contato com a natureza e todos benefícios que isso proporciona. Incansável na busca por uma vida mais saudável e sustentável. Administradora do site Sul de Floripa.
Fechar Menu