Conheça os Bairros do Sul de Floripa

A capital catarinense é uma das melhores cidades para se viver no Brasil, o que faz dela um lugar atraente não só para morar, mas também passear e investir. Mas para nós a região sul é tão especial, que criamos o portal Sul de Floripa somente para falar dela! Bairros do sul de floripa

Uma dica é se informar sobre as áreas que estão crescendo e ganhando mais infraestrutura e, nesse sentido, o Sul da Ilha está destacando. Além da beleza das praias e do crescimento econômico, outras características são o espírito de comunidade e a cultura açoriana, que se distribuem de maneiras diferentes. Bairros do sul de floripa

Cada bairro tem suas vantagens e, para te ajudar, listamos aqui 8 regiões.
Bairros do sul de floripa Bairros do sul de floripa

Rio Tavares

Um bairro considerado completo no Sul da Ilha, pois além da localização privilegiada, tem uma excelente infraestrutura com restaurantes, escola, posto de saúde, postos de combustível, lanchonetes e bares, etc. Junte-se a isso, o estilo de vida que se caracteriza pela busca da saúde e do bem estar.

A área urbana não é litorânea, mas na porção mais leste do bairro é possível acessar a praia por trilhas que atravessam uma vasta área de dunas e restingas. Os imóveis vão, desde casas simples até condomínios fechados, com casas de alto padrão. Algumas áreas livres e ruazinhas que partem da rodovia transmitem aquela sensação de interior.

A praia do Rio Tavares é tranquila e perfeita para quem deseja relaxar, mas não tem nada de infraestrutura na beira da praia, ou seja, é preciso ir preparado. A praia possui boas ondas para o surfe e ótimas condições para prática de kitesurf.

As opções gastronômicas desse bairro são ecléticas, variando bastante. Tem pizzarias, culinária japonesa, restaurantes típicos, buffets por quilo, lanchonetes e sorveterias. É no bairro também que fica o único shopping da região sul de Florianópolis, com cinema e outras opções de lazer.

Outro ponto que se destaca na região é a Capela São Luiz Gonzaga, conhecida popularmente como Igreja de Pedra, erguida entre 1954 e 1955. Lá, acontecem feiras semanais, encontros culturais e mostras teatrais, local que demarca o limite de abrangência do portal Sul de Floripa.

Oficialmente, segundo a prefeitura, o Rio Tavares pertence ao Bairro Campeche, mas para a comunidade que mora no sul o bairro está mais que estabelecido, e para nós do portal Sul de Floripa também. Essa é uma região muito grande, que (não oficialmente) engloba a comunidade nas cercanias da SC-405, a partir no Trevo da Seta, até o Elevado do Campeche e se estende também na região próximo à SC-406, em direção à Lagoa da Conceição.

Campeche

Localizado a 15 km do centro, o Campeche é um dos principais bairros do sul de Floripa e uma das regiões da cidade com maior potencial de crescimento urbano e já é também o bairro mais populoso do sul da ilha. Ultimamente, se destaca no setor imobiliário, possuindo condomínios diversos, inclusive de alto padrão, especialmente na porção mais ao norte, que é chamada de Novo Campeche.

O Campeche é considerada uma região excelente para se morar, pois dispõe de infraestrutura de comércios e serviços variada. Há postos de saúde, escolas, restaurantes, bancos, farmácias, padarias, cafés, bistrôs, além de lojas de produtos naturais e feirinhas. A maior parte dos comércios e serviços fica na SC-406, que dá acesso ao bairro ou na Av. Pequeno Príncipe, que é a principal rua do Campeche e também a que leva até a praia.

O bairro atrai um grande número de turistas no verão e a praia, com suas pequenas dunas e mar de águas frias e ondas fortes, atrai também muitos surfistas. A maior concentração de turistas e moradores fica no final da Avenida Pequeno Príncipe. Para quem busca mais tranquilidade o ideal é deslocar-se mais para o sul ou mais para o norte, mas atenção à região chamada de “Point do Riozinho” (ao norte do centrinho), ali a água não costuma ser própria para banho.

No Campeche você encontra todo tipo de alimentação: churrascaria, lanchonetes, comida vegetariana, italiana, sorveterias, sushi, pizzarias, entre outros. Ou seja, os amantes da gastronomia estão bem servidos nesse bairro, inclusive aqui são encontradas diversos opções “gourmet”.

À frente da praia está a Ilha do Campeche e seu rico ecossistema, um patrimônio arqueológico. Na temporada se torna uma grande atração para os turistas que curtem trilhas, história e mar de águas claras.

O Campeche é um bairro muito grande e possui muitas regiões internas, como o Novo Campeche e a Lagoa Pequena (ao norte); e a região das Castanheiras e Areias do Campeche (ao sul).

Nesse bairro, até o morador nativo dá uma de turista. Ou seja, conforto e comodidade para quem sonha em morar numa região linda e funcional.

Morro das Pedras

O Morro das Pedras é formado por uma comunidade nativa e tranquila, inserida num cenário cheio de lindas paisagens.

O local tem boa infraestrutura e isto tem atraído novos moradores. Dispõe de creches, escolas, posto de saúde, centro odontológico e clínicas; e o comércio possui padaria, farmácia, supermercados, oficinas e alguns restaurantes e bares.

A praia tem ondas sempre agitadas, o que torna o local um recanto perfeito para surfistas, mas perigosa para banhistas. O bacana dessa praia é que você pode alugar caiaque e prancha de Stand UP Padle, mas em termos de hospedagem há poucas opções. Aliás, durante o verão, essa região fica bastante movimentada nas estradas. Diferente do inverno, quando o bairro ganha uma atmosfera mais tranquila.

Além da exuberante praia, que mesmo no verão não fica cheia, o Morro das Pedras abriga morros verdejantes, mirante, lagoa e cachoeira. No alto do morro, em frente ao costão, você encontra uma construção antiga, feita com pedras, a Casa de Retiro Vila Fátima. Lá, é possível desfrutar de um mirante com um dos visuais mais belos do sul de Florianópolis.

Passando a costa de pedras, você encontra a praia do Caldeirão (ou Caldeira), ela é ótima para o surfe, mas no quesito infraestrutura só tem um posto salva-vidas, que só funciona na temporada do verão.

Outro atrativo natural importante é o Parque da Lagoa do Peri, local excelente para se divertir em família. O bacana do parque é que conta com ótima infraestrutura, com banheiros, restaurante, trilhas, área para picnic e você ainda pode alugar caiaque e prancha de Stand UP Padle. As águas são calmas, quentes e apesar de escuras, sempre limpas, o que atrai muitas famílias com crianças, que costumam lotar o local nos finais de semana durante o verão.

O Morro das Pedras também é oficialmente parte do Campeche, mas na prática pode ser considerado um bairro com infraestrutura e características próprias. É um cantinho para quem busca qualidade de vida de seus moradores.

Armação do Pântano do Sul

Localizado a 23 km de distância do centro de Florianópolis, a Armação, como é mais conhecido, é um bairro pequeno, que mantém as características de antiga vila de pescadores.

Tem boa infraestrutura e conta com bares e restaurantes, supermercados, pousadas, casas de aluguel, padarias, farmácias e lojas, a maioria espalhados ao longo da Rodovia SC-406 e no centrinho do bairro. Fora da temporada o lazer é escasso.

O centrinho da Armação é um charme, nele você encontra a Igreja de Sant’Anna, construída em 1772, que é a principal atração histórica do bairro.

A faixa de areia não é extensa, mas existe um calçadão que rende belas fotografias. Inclusive, no canto direito da praia, há uma Ilha onde é possível ter uma boa vista das praias da região. Lá, você desfruta de um lindo gramado, emoldurado por pedras e um mar com ondas que proporcionam um cenário primoroso.

E tem mais, bem ao lado da praia da Armação, está outra linda praia com cara de refúgio. Aliás, refúgio famoso entre turistas argentinos e uruguaios, a praia do Matadeiro. Para chegar lá você precisa atravessar o riozinho a pé ou passar pela ponte pênsil. É uma pequena trilha que te presenteia com mais uma faixa de areia e mar, paradisíacos. Tem restaurantes e vendedores de artesanato, mas não há hospedagem. E é a partir do final da praia do Matadeiro que há, também, outra trilha para a lagoinha do leste.

A Armação e suas praias são um point de passagem obrigatório para os turistas que desejam conhecer o sul de Floripa. Há diversas opções de hospedagem e o mar é perfeito para famílias.

Oficialmente a Armação, como o próprio nome já diz, pertence ao bairro Pântano do Sul, mas tem história, identidade e características próprias e aqui no portal Sul de Floripa consideramos como um bairro.

Pântano do sul

A 25 km do centro da cidade, só vai ao Pântano do Sul quem sabe que vai aproveitar a tranquilidade que ele proporciona. Espaço na areia, mar perfeito para famílias com crianças e para a prática de atividades náuticas. Apesar de haver acesso, os carros não devem estacionar na praia. Há estacionamentos, inclusive com banheiro, que funcionam o ano inteiro.

O Pântano, como é chamado pelos nativos, também oferece uma razoável infraestrutura urbana, com a maior parte das suas ruas pavimentada, mas sem prédios.

Na beira da praia é possível encontrar vários restaurantes especializados em frutos do mar que atraem muitos turistas. Já o comércio é limitado e dirigido às necessidades dos moradores, com mercados e padarias. Opções de entretenimento são escassas, com alguns bares oferecendo música ao vivo durante o verão. Para quem deseja se hospedar no bairro há opções de pousadas e aluguel de casas.

O bairro respira qualidade de vida, sossego e ainda preserva o sotaque ilhéu e as tradições baseadas na cultura açoriana.

É uma das principais comunidades pesqueiras da cidade e sua área abrange desde as praias da Lagoinha do Leste, dos Açores, da Solidão e do Saquinho até localidades interioranas como a Costa de Dentro, a Costa de Cima e o Sertão do Peri.

Ribeirão da Ilha

O centrinho do Ribeirão da Ilha, onde fica a histórica igreja Nª Sª da Lapa, fica localizado a 22 km do centro da cidade, na porção oeste da ilha. Essa distância acabou contribuindo para que a cultura açoriana, com ares de interior, resistisse às mudanças. E isso fez com que as construções, principalmente as próximas ao núcleo histórico, mantivessem as características da arquitetura colonial. A lei municipal de 1975, inclusive, estabeleceu que a igreja e o Ecomuseu do Ribeirão se tornassem patrimônios tombados.

A vida nessa região é tranquila e o comércio abastece as necessidades dos seus moradores. O que se destaca é a gastronomia, com inúmeros bares e restaurantes de frutos do mar, distribuídos pelo que chamam de Caminhos das Ostras. Aliás, nesse roteiro é possível degustar os mais importantes produtos produzidos na região, que são as ostras e os mariscos.

A região é considerada o segundo distrito mais antigo de Florianópolis, e o maior produtor de ostras do Brasil. Ali, se preservam tradições como a Festa de Nossa Senhora da Lapa, a produção das rendas de bilro, das canoas e baleeiras, dos balaios e cestos de cipó.

A praia Ribeirão da Ilha é formada por pequenas praias com águas calmas e areia grossa. Algumas surgem e somem conforme a maré, e a melhor delas para banho é a Caiacanga, uns 6 km ao sul do centrinho onde fica a Igreja. Os turistas que a visitam não costumam se hospedar, mas há pousadas e casas para alugar para quem se interessar.

O Bairro do Ribeirão é considerado, pelo portal Sul de Floripa, o maior bairro da região sul. Ele compreende toda a rodovia Baldicero Filomeno, que tem 21 km de extensão, e vai desde o Trevo do Erasmo (na divisa com o Morro das Pedras) até a ponta mais sul da Ilha (na porção oeste da ilha), passando pela região do Alto Ribeirão, Costeira do Ribeirão, Caiacanga e terminando na Caieira da Barra do Sul.

Tapera

O bairro Tapera está localizado logo após a Base Aérea de Florianópolis. O acesso é pelo Ribeirão da Ilha ou pela Base Aérea, que é restrita a militares, moradores cadastrados e algumas categorias de servidores públicos.

A região da Tapera é residencial, com modesto comércio local. Possui posto de saúde, escola pública e, por ser pouco explorado pelo turismo, não há meios de hospedagem e o número de restaurantes é pequeno.

A Tapera possui uma das mais antigas colônias de pescadores do sul da ilha na Praia da Tapera, praia de baía interna e águas calmas. Nela também foi encontrado um grande sítio arqueológico com conchas, carvão vegetal, machados polidos, batedores e amoladores.

Bem próximo ao litoral do bairro há duas ilhas: Dona Francisca, conhecida como Ilha das Flechas, e a Ilha das Laranjeiras. No momento em que a maré está baixa, é possível caminhar até a Ilha Dona Francisca.

O bairro é considerado mais residencial do que comercial ou turístico e apesar de ser uma região pequena, a própria prefeitura considera a Tapera oficialmente como um bairro.

Carianos

O bairro Carianos está a 10 km do centro de Florianópolis e, nele, está instalada a Base Aérea de Florianópolis e o Aeroporto Internacional Hercílio Luz, o único da cidade.

A principal rua é a Avenida Deputado Diomício Freitas, onde se concentra a maior parte do comércio e serviços como escolas, creches, igrejas, mercados, padarias, farmácias, feirinhas de produtos agrícolas e postos de gasolina. Ou seja, a infraestrutura permite que o morador não necessite se deslocar da região.

Para os amantes do futebol, o bairro tem também o Estádio Aderbal Ramos da Silva, conhecido por Estádio da Ressacada, de propriedade do Avaí Futebol Clube. Em dias de jogo, pelo fato de ter apenas um acesso, o Carianos fica com a entrada e a saída do bairro intransitável.

Esse é o único dos bairros do Sul de Floripa que não tem acesso à praia e, talvez por essa razão, os turistas só o conheçam quando decidem assistir uma partida de futebol ou compraram uma passagem de avião.

É um bairro cercado por um manguezal, pertencente à Reserva Extrativista Marinha do Pirajubaé, e pela área do Aeroporto Internacional Hercílio Luz. Ao redor, existe uma infinidade de locadoras de veículos e, diferente do que se poderia imaginar, não há na região hotéis ou meios de hospedagem.

Segundo a prefeitura a região do Carianos pertence ao bairro Ribeirão da Ilha, mas é uma região com importância e características próprias. Nós do portal Sul de Floripa consideramos como um bairro!

Gostou? Compartilhe!

Farah Diba Albuqerque

Apaixonada por viagem e turismo, Farah Diba Albuquerque não é manezinha no DNA, mas mora em Floripa há quase 30 anos. Fez duas faculdades: Direito e Jornalismo. Mas assume que a vocação é ouvir histórias, entrevistar pessoas e escrever sobre o que vê e sente. Já morou em vários cantos do arquipélago da magia, mas foi só no Sul da Ilha que encontrou o que precisava para escrever seu primeiro livro. É nesse pacote *{natureza, história e espírito de comunidade}* que descobriu um dos presentes da terra. Jornalista do site Sul de Floripa.
Fechar Menu